Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.utp.br/jspui/handle/tede/1824
???metadata.dc.type???: Dissertação
Title: Coringa (2019): o que há por trás da máscara?
???metadata.dc.creator???: Becker, Paula David 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Guimarães, Denise Azevedo Duarte
???metadata.dc.contributor.referee1???: Araújo, Denize Correa
???metadata.dc.contributor.referee2???: Lesnovski, Ana Flávia Merino
???metadata.dc.description.resumo???: A proposta geral dessa dissertação de mestrado é analisar a jornada do vilão em um filme originário das histórias em quadrinhos, com ênfase na caracterização do protagonista. O corpus empírico selecionado como objeto de estudo foi Joker (2019) do diretor Todd Phillips, que conta a origem do vilão mais popular da DC Comics. O filme se destaca, em meio as demais adaptações das HQs da franquia de Batman, por evitar embates dicotômicos entre o bem o mal. Ironicamente, a premissa criada por Phillips é marcada justamente pelo oposto: a perda de controle, em um universo urbano onde Batman ainda não existe e o caos é agravado nas ruas de Gotham, cada vez mais imundas e violentas. A justificativa para esse estudo parte da necessidade de demonstrar como a obra realiza uma série de rupturas, as quais abrangem desde aspectos técnicos, tais como a ausência de superpoderes e efeitos especiais, comuns em adaptações fílmicas de HQs contemporâneas; aspectos narrativos, por ser um filme sobre um vilão sem a presença de um herói para combatê-lo; além dos fins políticos presentes, que sinalizam mudanças sobre a percepção das desigualdades sociais. De início, realizou-se uma busca pelo estado da arte, mais especificamente, por trabalhos acadêmicos que tratassem sobre as questões do arquétipo do vilão e as adaptações fílmicas de histórias em quadrinhos. Neste tema, encontraram-se os livros de Denise Guimarães (2012), Christopher Vogler (2006), Carl Jung (2000), as teses de Luís Gustavo Vechi (2008), Alexandre Schmitt (2011) e as dissertações de Valéria Yida (2016) e Fabricio Marques Franco (2017). A problematização está vinculada às indagações sobre o que realmente há por trás da máscara de Arthur Fleck; e em como, nesse contexto, o Coringa assumiria ou não uma atitude perversa, pertinente ao comportamento esperado do arquétipo sombrio ao qual pertence. Chega-se a conjecturar a hipótese: E se, a criação da persona Arthur Fleck não for uma tentativa de humanizar o Coringa, mas sim uma catarse baseada em memórias imaginárias? Partindo dessa hipótese, o final desmascararia a hipocrisia, uma vez que os argumentos usados para que o público simpatizasse com o vilão e justificasse os crimes dessa figura vingativa, fossem, na verdade, meros frutos das suas memórias distorcidas. No final, o Coringa dançaria e zombaria daqueles que acreditaram em sua história. Para Baudrillard (1991, p. 11) a representação ou simulação pode atuar como uma como uma espécie de “sedução circular”. Tendo isto em vista, o personagem Coringa pode ter usado suas danças e a narrativa fantasiosa para nos seduzir. Afinal, como podemos julgá-lo não doente, se ele simula tão bem os sintomas da condição mental que alega ter? E, se esta fosse realmente uma doença incurável, que sempre o fazia rir de forma incontrolável, como matar, poderia simplesmente tê-lo feito adquirir o suposto autocontrole sobre essa risada? Levantar tais questões reforça a sensação de que fomos enganados por uma narrativa fantasiosa, criada por uma mente perversa e insana. Para comprovar a hipótese, o objetivo desta pesquisa foi realizar uma análise dos aspectos estético-narrativos de Joker (2019). O processo foi dividido em duas etapas: primeiramente efetuou-se a decupagem dos elementos fílmicos, para posteriormente realizar a interpretação e reconstrução do filme tendo em conta os elementos decompostos. Adotou-se como metodologia a análise fílmica, com aporte teórico nos conceitos de Aumont (1995), Penafria (2009), Xavier (1983) e Vogler (2006), entre outros estudiosos sobre o tema.
Abstract: The general purpose of this master's thesis is to analyze the villain's journey in a film originating from comic books, with an emphasis on the characterization of the protagonist. The empirical corpus selected as the object of study was Joker (2019) by director Todd Phillips, which tells the origin of the most popular DC Comics villain. The film stands out, among other comic book adaptations of the Batman franchise, for avoiding dichotomous clashes between good and evil. Ironically, the premise created by Phillips is marked by just the opposite: the loss of control, in an urban universe where Batman does not yet exist and chaos is aggravated in the streets of Gotham, increasingly filthy and violent. The justification for this study comes from the need to demonstrate how the work performs a series of ruptures, which range from technical aspects, such as the absence of superpowers and special effects, common in film adaptations of contemporary comics; narrative aspects, as it is a film about a villain without the presence of a hero to fight him; in addition to the present political purposes, which signal changes in the perception of social inequalities. Initially, there was a search for the state of the art, more specifically, for academic works that dealt with the issues of the villain archetype and the filmic adaptations of comic books. In this theme, we found the books by Denise Guimarães (2012), Christopher Vogler (2006), Carl Jung (2000), the theses by Luís Gustavo Vechi (2008), Alexandre Schmitt (2011) and the dissertations by Valéria Yida (2016) and Fabricio Marques Franco (2017). The problematization is linked to questions about what is really behind Arthur Fleck's mask; and how, in this context, the Joker would or would not assume a perverse attitude, pertinent to the expected behavior of the shadow archetype to which he belongs. The hypothesis is even conjectured: What if the creation of the persona Arthur Fleck is not an attempt to humanize the Joker, but rather a catharsis based on imaginary memories? Based on this hypothesis, the end would unmask the hypocrisy, since the arguments used for the public to sympathize with the villain and justify the crimes of this vengeful figure were, in fact, mere fruits of his distorted memories. In the end, the Joker would dance and mock those who believed his story. For Baudrillard (1991, p. 11) representation or simulation can act as a kind of “circular seduction”. With this in mind, the Joker character may have used his dances and fanciful narrative to seduce us. After all, how can we judge him not to be ill if he simulates so well the symptoms of the mental condition he claims to have? And if this really was an incurable disease, which always made you laugh uncontrollably, like killing, could it have simply made you acquire the supposed self-control over that laugh? Raising such questions reinforces the feeling that we have been deceived by a fanciful narrative created by a perverse and insane mind. To prove the hypothesis, the objective of this research was to carry out an analysis of the aesthetic and narrative aspects of Joker (2019). The process was divided into two stages: firstly, the decoupage of the film elements was carried out, to later perform the interpretation and reconstruction of the film taking into account the decomposed elements. Film analysis was adopted as a methodology, with theoretical support on the concepts of Aumont (1995), Penafria (2009), Xavier (1983) and Vogler (2006), among other scholars on the subject.
Keywords: Coringa
Arquétipos
Simulacro
Máscaras
Vilão
Joker
Archetypes
Simulacrum
Masks
Villain
???metadata.dc.subject.cnpq???: CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
???metadata.dc.language???: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Universidade Tuiuti do Paraná
???metadata.dc.publisher.initials???: UTP
???metadata.dc.publisher.department???: Comunicação e Linguagens
???metadata.dc.publisher.program???: Mestrado em Comunicação e Linguagens
Citation: Becker, Paula David. Coringa (2019): o que há por trás da máscara?. 2021. 195 f. Dissertação( Mestrado em Comunicação e Linguagens) - Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, 2021.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: https://tede.utp.br/jspui/handle/tede/1824
Issue Date: 21-Jun-2021
Appears in Collections:MESTRADO EM COMUNICAÇÃO E LINGUAGENS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CORINGA (2019).pdf5.53 MBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.